Uma prisão invisível que nos captura de VIVER.

27 de junho de 2019

Oi, Daiana querida!!

Aconteceu uma coisa que eu tive que vir aqui desabafar…

Meu nome é Maria,  tenho 25 anos. Estou na praia de férias com a minha família. Eu cheguei aqui me sentindo ótima e animada com o mar, o sol, os passeios!!! Cheguei e fui dar uma caminhada revigorante, depois coloquei meu biquíni e fui tomar banho de mar. Só alegria!

Saindo da água meu irmão chegou, ficamos conversando na beira e logo chegou minha cunhada, com um corpo que eu acho perfeito, uma bunda absurdamente redonda, volumosa e lisinha, quase sem gordura no corpo, toda bronzeada… e meu irmão falou “agora ela vai causar inveja na praia”.

Eu senti uma pontada de desconforto. Aí ele me olhou e disse “se bem que você também.. porque está magrinha!”.  Aí então abriram-se as portas das paranóias na minha cabeça.

Magreza sempre foi sinônimo de beleza, sempre foi objeto de desejo na minha família. E minha família faz muito bodyshaming.

Eu sempre desejei ser magérrima, até que nos últimos tempos eu emagreci e estou realmente magra, como sempre achei que seria o ideal, o passe da felicidade plena. Só que não é assim quando você “chega lá”.

Eu comecei a implicar com a minha bunda e ela virou meu fantasma! Acho que por eu ter emagrecido ela ficou mole, pequena, flácida, achatada… Comecei achar ela muito muito feia, comecei ter muita vergonha! Eu vejo minha bunda deformada no espelho, tamanha distorção de imagem!

Eu não tomei sol de costas nenhuma vez aqui na praia, não caminhei na beira da praia de biquíni, para ninguém ver minha bunda, eu calculava de onde estava vindo o sol, para não fazer sombra nas minhas celulites. Um inferno! E aí comecei achar que engordei, comecei me achar feia de rosto também e em todos os sentidos. Nessa desorganização mental, as comparações com a minha cunhada só pioravam tudo.

Ontem saímos jantar e, sem querer, eu e ela começamos conversar. Papo vai papo vem, começamos a falar de beleza e corpo.

Ela revelou que não gosta de si, gostaria de fazer plásticas, e que um dia, inclusive, foi embora da praia mais cedo porque estava se achando “inchada”!!!! Que ela usa cinta modeladora super apertada, e que meu irmão diz que antes da cinta ela tinha uma “cinturinha de KOMBI” (o que é mentira!).

Daiana, eu fiquei PASMA! Eu estava me torturando com comparações, com alguém que eu achava ter o corpo perfeito, e eu mal sabia que ela estava tomada por insatisfações assim como eu.

Revelei pra ela algumas das minhas insatisfações e ela ficou PERPLEXA, da mesma maneira que eu fiquei ao ouvi-la. Ela me descreveu como ela me enxerga, e simplesmente não corresponde com aquilo que eu vejo. Nós duas estávamos boquiabertas, e eu, simplesmente indignada.

Nós mulheres, acredito que quase todas nós, temos altos graus de distorção de imagem! Isso é uma prisão invisível que nos captura de VIVER com alegria os momentos mais lindos, como estar na praia em família.

Deixamos de ver o brilho do sol na água do mar, o toque da brisa na pele, o cheirinho de milho da praia, a alegria das crianças correndo para a água. Tudo porque estamos preocupadas com nossa bunda ou barriga. QUE ABSURDO!

E mais, isso nos captura de sermos fortes e seguras, o que impacta em todas as esferas da vida, inclusive profissional. Eu acho que a pressão estética e os padrões de beleza esmagadores são fatores que impedem as mulheres de serem mais bem sucedidas, independentes e plenas. De terem relacionamentos mais saudáveis.

Daiana, eu leio muito, vejo vídeos, documentários, vou na terapia, na nutricionista, e simplesmente não consigo me aceitar ainda. Não consigo conviver em paz com minhas imperfeições, inerentes de ser HUMANA. Só coloco biquíni porque estou super magra. Meu amor próprio parece ainda estar condicionado ao meu peso.

Sempre que tenho oportunidade converso com meninas e mulheres sobre isso tudo, e acho que é minha forma de contribuir. Mas mais do que isso, quando eu conseguir me aceitar e ser feliz com o corpo que tenho, aí sim estarei fazendo algo de bom por todas nós mulheres.

Um suuuuuuuper beijo!!

Muito obrigada pelo seu trabalho!!

0