É normal fracassar na dieta

14 de julho de 2017 | Por Sophie Deram

Há alguns anos, quando se falava que “dieta engorda”, as pessoas não entendiam e olhavam assustadas. Hoje, felizmente, essa noção está sendo cada vez mais ampliada. A ciência vem mostrando, dia após dia, que a restrição estressa o corpo e faz com que o nosso cérebro altere o metabolismo e o apetite.

Já reparou que quem vive pulando de dieta em dieta está sempre com fome? Só pensa em comida? Acaba perdendo peso e ganhando peso num efeito sanfona?

Claro que no curto prazo a dieta funciona. Mas o nosso sistema cerebral entende essa privação como um sinal de perigo à sobrevivência. Para se defender, cria mecanismos de adaptação, ou seja o metabolismo fica mais lento e há um aumento do apetite que vira uma verdadeira obsessão pelos alimentos. Nossos genes do apetite e do armazenamento de gordura são ativados.

É por isso que é normal fracassar na dieta! As pesquisas no mundo todo observam que de 90% a 95% das pessoas que fazem uma dieta muito restritiva voltam a engordar, e às vezes, até mais do que tinham perdido com a dieta. Será que vale a pena? Minha experiência de nutricionista e pesquisadora mostra que não! Como tem sido a sua experiência?

Sob o ponto de vista psicológico, este tipo de regime também é um desastre, pois há um grande risco de desenvolver uma relação transtornada com o comer e a comida: o risco de desenvolver um transtorno alimentar, como a compulsão por exemplo, depois de uma dieta restritiva aumenta em 18 vezes. Sabia que quase todos os transtornos alimentares começam com uma dieta?

Então, como chegar a um peso saudável?

Primeiro é preciso se perguntar se você realmente precisa perder peso. Se a resposta é “sim”, vale a pena identificar as causas do excesso de peso: se é por algum problema de saúde, pelo uso de algum medicamento, pela sua fase da vida (adolescência, gravidez, menopausa, pré-menopausa…), estresse, algum motivo emocional, etc. Existem inúmeros fatores que levam ao ganho de peso, e isso precisa ser investigado antes de apostar em qualquer modificação na sua alimentação ou começar uma dieta da moda.

Tão importante quanto se certificar sobre seu estado de saúde é libertar-se de alguns comportamentos que acabam levando muitas pessoas a engordar. Por exemplo, é preciso se livrar da culpa e fazer as pazes com a comida e com o corpo, passar a ouvir os sinais de fome, de saciedade, e também respeitar suas vontades. Viver de maneira mais consciente, mais conectada com você mesmo!

Pense nisso: quem nesse mundo sabe melhor do que você a fome que você sente agora? Por que você está deixando alguém decidir por você? Por que você terceiriza sua fome? Você faria isso com a sua respiração ou vontade de fazer xixi? Claro que não! Pense que nutrir o seu corpo é tão natural e vital quanto respirar e ir no banheiro!

Se você ama chocolate, por exemplo, e passa a metade do mês se privando dele, provavelmente vai acabar cometendo excessos depois que “se permitir”, e é normal. Não seria melhor comer quando tem vontade, passando a saborear em paz e com moderação?

“Comer melhor, e não menos.”

Esse é o meu lema e é o melhor caminho para manter um peso saudável, sem dietas malucas, sem estresse com a comida e com muito mais prazer e felicidade diante da maravilha que é o ato de comer!
Bon appétit!

0

Sophie Deram
Nutricionista, Doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Pesquisadora e autora do livro "O Peso das Dietas”. www.sophiederam.com/br